Eficiência x Tempo

Posted on 28/06/2012

0


Resumo da 31ª. Reunião com adolescentes e pré-adolescentes – 24/06/2012

 Tivemos a premiação dos trabalhos ref. à Mensagem A Maior Batalha, feitos por :

 Gabriela Godoy; Juliana Regis; Karol Viero; Laís Regis; Natália; Stephanie; Suzana;Talita Amorim, Mateus Viero; Mateus Barroso; Samuel Ducca. Estes adolescentes receberam uma pequena lembrancinha  como reconhecimento por sua dedicação pois além de muito bem feitos os trabalhos, foram os únicos que entregaram a tarefa solicitada.Ficam registrados nossos parabéns a eles e, aos demais, que não fizeram o trabalho, nossa palavra de ânimo e incentivo, para que realizem os próximos, pois tudo o que dedicarmos ao Senhor Jesus, ainda é pouco…

 A Leitura Bíblica foi: Eclesiastes 3

1 Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.

2 Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou;

3 Tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derrubar, e tempo de edificar;

4 Tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar;

5 Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar;

6 Tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de lançar fora;

7 Tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar;

8 Tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz.

9 Que proveito tem o trabalhador naquilo em que trabalha?

10 Tenho visto o trabalho que Deus deu aos filhos dos homens, para com ele os exercitar.

11 Tudo fez formoso em seu tempo; também pós o mundo no coração do homem, sem que este possa descobrir a obra que Deus fez desde o princípio até ao fim.

12 Já tenho entendido que não há coisa melhor para eles do que alegrar-se e fazer bem na sua vida;

13 E também que todo o homem coma e beba, e goze do bem de todo o seu trabalho; isto é um dom de Deus.

14 Eu sei que tudo quanto Deus faz durará eternamente; nada se lhe deve acrescentar, e nada se lhe deve tirar; e isto faz Deus para que haja temor diante dele.

15 O que é, já foi; e o que há de ser, também já foi; e Deus pede conta do que passou.

16 Vi mais debaixo do sol que no lugar do juízo havia impiedade, e no lugar da justiça havia iniqüidade.

17 Eu disse no meu coração: Deus julgará o justo e o ímpio; porque há um tempo para todo o propósito e para toda a obra.

Nosso objetivo nesta reunião foi analisar a importância de realizarmos cada tarefa, de tomarmos cada atitude, no tempo certo,  para que possamos alcançar o real objetivo de cada ação e evitarmos as conseqüências de realizarmos as coisas fora de tempo.

 Iniciamos uma série de entrevistas, com profissionais de diferentes áreas, para  que eles nos transmitam, através de suas experiências, a importância do tempo certo, para realização das mais variadas ações presentes em nossas vidas.

O primeiro foi nosso querido Diácono Ir. Carlos Marcelo – profissional da área automotiva

Ele nos falou sobre as más conseqüências do simples fato  de um motorista dirigir sem observar o tempo certo para a troca de marchas: aumento do consumo de combustível, aquecimento do motor, desgaste da caixa de câmbio, desgaste precoce de várias partes do motor e conseqüente prejuízo financeiro…

O segundo a falar foi o Ir. Lucas Teixeira: ele é bancário, estudante do Curso Superior de Filosofia e estudante de violão clássico há vários anos, por isso nos falou sobre : “Tempos Musicais”

Junto com o ir. Lucas, chegamos à conclusão de que a observação dos tempos musicais é determinante para a execução de qualquer peça musical, pois o tempo é que determina os compassos, que influenciam o ritmo e permitem a classificação do tipo de música que está sendo executada.

O tempo aplicado da maneira certa na música é tão importante que até mesmo as pausas, que também são tempos, se não respeitadas, alteram toda a música, basta imaginar uma orquestra, se cada um de seus membros resolverem  utilizar o tempo sem critério !

Vimos que existe inclusive o metrônomo, que nada mais é do que um “marcador do tempo”, para que tudo seja executado de forma harmônica, ou seja, “no tempo certo” !

O terceiro entrevistado foi o  Ir. Gilberto dos Santos: jornalista com experiência em grandes jornais e assessoria de imprensa em multi-nacionais.

O Ir. Gilberto começou ressaltando a importância do hábito da leitura, da boa leitura, chamando a atenção da classe para o fato de  que o tempo para se adquirir esse hábito é justamente este que os adolescentes estão vivendo. Disse que o hábito da leitura é um grande diferencial na formação de bons profissionais e que, aqueles que não adquirirem esse hábito,  certamente estarão em grande desvantagem no mercado de trabalho, seja qual for a atividade.

Ele nos deu uma verdadeira aula sobre a rotina de  uma redação e a importância do tempo para execução de cada tarefa, pois as noticias não podem ser divulgadas antes do tempo, pois correm o risco de serem incompletas, nem depois do tempo, pois já estarão defasadas em relação às mesmas notícias, divulgadas pela concorrência.

Houve uma grande participação por parte da classe, que fez várias perguntas sobre  a qualidade das matérias que se divulgam, sua confiabilidade , sobre como identificar se uma leitura é de boa ou de má qualidade, se não deveríamos ler apenas a Bíblia e as Mensagens, etc.

Concluímos que, especialmente para o estudante, algumas leituras são obrigatórias, principalmente as que fazem parte do currículum escolar.

Infelizmente, não podemos ler apenas a Bíblia e as Mensagens, pois como disse o Apóstolo Paulo em sua I carta aos Coríntios 5:10: “…necessário vos seria sair do mundo”.

Em razão das várias participações por parte da classe, o tempo passou muito rápido e concluímos com a leitura do Parágrafo 101 da Mensagem: Lembrando-nos do Senhor) :

 

“Você se lembra Dele? Você O ama? Agora eu penso,em nossa pequena Mensagem mal falada, poderíamos dizer isto. Paulo disse: “O que quer que façamos, façamos no Espírito”. Em todas as coisas deveríamos nos lembrar Dele. Não tomemos decisão até nos lembrarmos Dele; não façamos nada, porque será racional. (NT. Lucilene: a mente é a porta de entrada) Se o inimigo bater num lado da face, lembremo-nos da Sua ação. Se houver uma decisão a ser feita, esperemos, lembremo-nos do tipo de decisão que achamos que Ele tomaria, então seja essa nossa decisão. Se nos apressamos, lembramo-nos que Ele nunca esteve com pressa. Está vendo? Se ficarmos ansiosos demais, lembremo-nos que Ele habita na Eternidade, o tempo não significa nada para Ele. É o motivo e o objetivo de nosso coração. Lembremo-nos Dele.

Com isto, vimos que, qualquer que seja o assunto ou situação, todos nós devemos ter uma experiência com Deus, para sabermos nos comportar da maneira como Ele faria em nosso lugar. Se o Espírito de Jesus estiver em nossos corações, no comando de nossas vidas, sempre decidiremos pelas coisas certas, no tempo certo.

A pedido da classe, pretendemos continuar com este tema na próxima reunião.

Que Deus recompense a cada um dos participantes e a todos os que colaboraram para que mais esta reunião fosse possível.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Posted in: Pequenas Aguias