Dominio Próprio / Diferença entre Amor e Sensualidade.

Posted on 06/01/2014

0


Resumo da 39ª. Reunião com adolescentes e pré-adolescentes – Domingo 10/11/13

 

Leitura Bíblica: Romanos 1: 18/32: Irmão Eudes

IMG_3100

Antes de entrar no tema de mais uma reunião, lemos um texto com a opinião de alguns psicólogos estudiosos do comportamento de adolescentes, sobre o tema: “Quando amar e fazer tudo por um ídolo deixa de ser “saudável”.

Notamos que, até mesmo do ponto de vista científico, sabe-se que a “idolatría” por um ídolo do mundo artístico, apesar de comum na adolescência, revela uma transferência do afeto que deveria ser trocado entre a menina e a figura paterna, geralmente por falha nessa troca de afeto.

Do ponto de vista espiritual, revela a necessidade humana de adorar a Deus e, na falha dessa adoração, o ser humano sempre adotará um ídolo para tomar o lugar de Deus.

 

TEMA:  Dominio Próprio / Diferença entre AMOR e SENSUALIDADE – “FICAR”

Leitura Bíblica: II Timóteo 2: 

22 Foge também das paixões da mocidade; e segue a justiça, a fé, o amor, e a paz com os que, com um coração puro, invocam o Senhor.

SENSUALIDADE:  idolatria dos próprios sentimentos e desejos (luxúria)

Alguns depoimentos recentes de alguns jovens sobre o “ficar”:

“Ficar é passar um tempo com a pessoa, sem compromisso…”“Ficar é curtir a vida…”

“Se você fica com alguém, você não precisa voltar a se encontrar com aquela pessoa…”

Depoimento de uma autoridade científica no assunto

A psicóloga, Jacqueline Chaves (formada pela PUC/RJ, onde tb fez Mestrado – Doutora pela UFRJ), definindo o que seria ficar: “Um código de relacionamento marcado pela falta de compromisso e pela pluralidade de desejos, regras e usos.”

“FICAR COM” UM NOVO CÓDIGO JOVEM

Jacqueline Chaves, jovem psicóloga pertencente à geração do ” ficar com”, como ela se auto define, é autora do livro “Ficar com, um novo código entre jovens”, editado pela Revan e vendido com sucesso.

Baseado na tese que a autora fez para obtenção do grau de Mestre em Psicologia da PUC, informa logo no início: “Quando se fala do relacionamento amoroso dos jovens, é preciso ter bem claro que eles carregam na sua história pessoal, consciente ou inconscientemente, fragmentos de muitas mudanças pelas quais têm passado a família, o casamento e o namoro.”

“Ficar com” é, portanto, o nome de um novo código de relacionamento bastante característico entre os jovens, mas que acontece também entre as pessoas mais velhas.

Segundo Jacqueline Chaves: “em termos gerais, pode-se dizer que, com esse código, você não está preocupado com o outro, mas sim com o próprio prazer. Não existe a preocupação do depois. Antes do “ficar com”existia a “amizade colorida” que pressupunha uma certa fidelidade, um certo compromisso “.

 

O perigo que está implícito nas conclusões a que chega o acurado estudo de Jacqueline Chaves, é a criação ou a confirmação do que está criado: maior liberdade na formação de uma sociedade em que predomina a falta de limites.

“É o vale-tudo” conclui a autora, prevendo que aí entra a idéia de descartável, como que gerando a banalização muito grande do sexo.

Prazer pelo prazer, o “ficar com” vai desde a troca de beijos e carícias, até uma relação sexual, o que serve de alerta para pais muito permissivos.

 

Vamos pensar: “ficar”, é uma prática moderna ou antiga ?

 

Leitura Biblica: II Samuel 13 1 ao 20– AMNON violenta Tamar, sua meio-irmã

 

 Analisando o incesto cometido por Amnom

a)     – Motivos de Amnom:

A sensualidade domina e desequilibra a pessoa deixando-a sem domínio próprio ou seja, imediatista em relação aos seus desejos. Amnom impiedosamente extravasou seus sentimentos e desejos através da força e agressão, o que resultou num incesto. O amor sensual se baseia puramente na satisfação psico-emocional do indivíduo.

b)    Quais foram os fatos que influenciaram seus atos ?

. Famiila: Davi,  apesar de ser um homem segundo o coração de Deus ,(I Samuel 13: 14)

tinha como fraqueza a falta de domínio próprio com relação à mulheres. Apesar de ter várias mulheres, ainda tomou a Bate-Seba, mulher de Urias, aquém mandou matar,  o que determinou o castigo de Deus sobre ele e sua família.(II Samuel 12: 9/12 )

 

. Sociedade: o primo de Amnom sugeriu a ele que se fingisse muito doente e pedisse ao Rei a presença de Tamar para cozinhar para ele, ocasião em que Amnon a forçaria.

Ambos influenciam, mas não determinam. Assim como Amnon, nós escolhemos como lidar com as influências. Podemos escolher em que, em Quem firmar nossa mente, coração e hábitos.

 

Isaias 26

3 Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti.

4 Confiai no SENHOR perpetuamente; porque o SENHOR DEUS é uma rocha eterna.

c)     Reações de Amnom, após o erro

 

O amor sensual sempre se confunde e mistura com o ódio e a aversão. Ele segue a instabilidade emocional e espiritual da pessoa. Quando a pessoa se sente bem ela “ama”, quando a pessoa se sente mal, ela aborrece. Não há constância.

– Depois do estupro, Amnon abriu os olhos e constatou que NÃO AMAVA Tamar, apenas sentia desejo carnal por ela, pois não se importou com sua mágoa e vergonha e a expulsou friamente, como quem descarta um lixo. Assim é o pecado: se apresenta como algo desejável, mas deixa o sabor amargo de vergonha, ódio, e morte. A sensualidade faz isto.

Conclusão: A falta de compromisso foi muito pior do que o sexo forçado!

Quem ama, escuta o que o outro tem a dizer! Quem ama, não força ninguém a nada! Quem ama, não manda o outro embora! Quem ama, assume compromisso!

Por isso a igreja é comparada à Noiva de Cristo, e não à “ficante”.

 

d)    Por que Amnom sentiu aversão por Tamar ?

A aversão é a outra face do espírito de sensualidade,  a ser contemplada por aqueles que se tornam enlouquecidos pela paixão.  Normalmente, a intensidade do descontrole sentimental causado pela paixão será diretamente proporcional no sentimento de aversão. (Causa de muitos crimes, como estupro seguido de morte)

Depois que a pessoa já satisfez todo seu apetite sentimental e principalmente sexual, como Amnom fez, surge a manifestação de um sentimento repugnante,  claramente diabólico de ódio e aversão. A pessoa passa a simplesmente não suportar a presença da outra: 

Isto, em muitos casos, e inclusive em muitos casamentos, chega a se tornar uma oscilação crônica, onde o casal vive “entre tapas e beijos”. “Amor” na hora do prazer e rejeição na hora da responsabilidade.

Esta aversão vai gerando problemas, implicâncias, desconfianças, ciúmes, assuntos crônicos de contenda, clima de amargura e total desentendimento. Um quadro de infelicidade total.

Manifestações de rejeição e palavras ofensivas são trocadas, e vão desgastando o relacionamento que vai perdendo a resistência. O ódio se instala, seguido pela indiferença e desprezo, e assim, mais um divórcio acaba sendo concretizado por atitudes de traição e abandono. Paixão e aversão, um par inseparável.

e)     Depressão pós-sexo existe ?

Um estudo australiano, feito com mais de 200 mulheres, apontou que mais de 30% das entrevistadas já tiveram sentimentos intensos de tristeza após o sexo. Apontado como um fenômeno que pode ter influências biológicas, é um sentimento de tristeza intenso e que pode levar à evitação do sexo, mesmo no casamento. O provável transtorno – hipótese apontada por Robert Schweitzer, pesquisador da Universidade de Tecnologia de Queensland –, entretanto, pode ter diversas causas

Liliana Seger, psicóloga especializada em sexualidade e pesquisadora ligada ao Ambulatório Integrado dos Transtornos do Impulso (Amiti) do Instituto de Psiquiatria (IPq) da Faculdade de Medicina da USP explica que, um sentimento intenso de tristeza após o sexo pode ser uma combinação de vários fatores, como:

. sentimento de culpa

. não amar a pessoa com quem se está dividindo o momento

O espírito de sensualidade impõe sobre as pessoas pensamentos cíclicos de imoralidade e intermináveis fantasias sexuais, podendo assumir um porte de neurose, onde a pessoa permanece trancada num mundo onde apenas os sonhos e fantasias daquela paixão estão presentes. A pessoa acaba ficando paralisada, sem iniciativa, profundamente enferma na alma, sem ânimo, apenas sobrevivendo para as outras áreas da vida. A SENSUALIDADE PODE SE TORNAR UM VÍCIO.

 

f)      Quais os benefícios da pureza e castidade ?

 

Mensagem: Segunda Vinda de Cristo –Do parágrafo 68 ao 70

 

Nestes parágrafos o Ir. Branham diz :

“…Você é um com sua esposa. A presença dela te faz sentir melhor.  Aquilo é algo que Deus te deu para este fim.

“… Pode ser que ela seja tão bonita, porém se aquele respeito genuíno de Deus, amor e confiança não existem, então seria melhor se ela ficasse fora de seu colo…”

“… Que sentimento de consolação. Isto é esposo e esposa, representando em tipo e a igreja e Cristo…”

Concluímos que, a maneira provida por Deus para o relacionamento homem-mulher, formando um tipo de Cristo e a Igreja, produz bem estar, confiança, união, estabilidade e a segurança de que Ele mesmo cuidará de nos manter equilibrados e felizes, apesar das lutas, honrando nosso compromisso com o cônjuge, e com o próprio Deus.

Hebreus 13 – : Irmão Eudes

 

4 Venerado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; porém, aos que se dão à prostituição, e aos adúlteros, Deus os julgará.

 

Conclusão:

A paixão ainda está muito longe de ser amor verdadeiro, o qual é marcado pelo compromisso, respeito, fidelidade, paciência, etc.

Quando o relacionamento não dá mais o retorno esperado, parece mais fácil e cômodo sair dele não importando as conseqüências, bem como os danos psicológicos que isto poderá causar.

No caso de Amnom, sua paixão durou o curto tempo de uma relação sexual forçada e precipitada, onde apenas ele se satisfez. Sua paixão, nada mais era que um desejo sexual ardente. Quando o desejo acabou, a paixão também acabou. Tudo que sobrou foi aversão e frustração.

A suprema excelência do amor diz: Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta”. Este amor nunca falha.

g)    Qual a saída ?  Evitar o caminho do erro !

 

I aos Tessalonicenses 4:3 ao 8Irmão Eudes

 

O Espírito Santo tem uma arma poderosa: o domínio próprio. Dominar a paixão é a maior prova que nosso compromisso subsistirá à prova da aversão. O verdadeiro amor não se deixa abalar pelos extremos da paixão nem da aversão, pois antes de tudo honra uma aliança com Deus.

Jó 31:1 Fiz aliança com os meus olhos; como, pois, os fixaria numa virgem?

Provérbios 30:

18 Estas três coisas me maravilham; e quatro há que não conheço:

19 O caminho da águia no ar; o caminho da cobra na penha; o caminho do navio no meio do mar; e o caminho do homem com uma virgem.

Conclusão:

O jovem deve fazer uma aliança com seus olhos, escolhendo o que vai ver; com seus ouvidos, escolhendo o que vai ouvir; com seus pés, escolhendo por onde e com quem andará, e sobretudo com seu coração, tomando a decisão de nunca dar o primeiro passo para o erro, e passar por onde for necessário, sem deixar rastros, marcas de dor em si  mesmo ou no outro, como fez Amnon..

h)     Quem já errou, pode se acertar ? – : Irmão Eudes

 

Mensagem: O que Faremos com Este Jesus Chamado Cristo ?

41        E mesmo aquela pequena mulher prostituta reconheceu a Palavra de Deus. Ela não estava toda enroscada nalguma coisa. Ela, ela, bem, a mente dela não estava toda, como nós chamaríamos, se me perdoarem a expressão disto, “enrolada”, correndo aqui e correndo ali. Era uma mente virgem, no que se trata disso. Ela disse: “Sabemos que o Messias vem, e é isto o que Ele fará”.      E Ele disse: “Eu O sou”.

42        E ela correu rapidamente, contou aos homens da cidade: “Venham vê-Lo, este é o próprio Messias”.

Ela havia errado, mas podia CRER em Jesus e se arrepender,  e isto fez dela uma nova criatura. Todos nós temos a mesma oportunidade HOJE !

Este slideshow necessita de JavaScript.

Posted in: Pequenas Aguias